Operação ‘Luz na Infância 2’: advogado é detido em MG e mais de 700 mil arquivos apreendidos para perícia

Operação ‘Luz na Infância 2’: advogado é detido em MG e mais de 700 mil arquivos apreendidos para perícia

Jovem preso em Uberlândia é um dos principais alvos da ação que ocorre no país nesta quinta-feira (17). Luz na Infância 2: Polícia Civil cumpre mandados em cidades do Triângulo e Alto Paranaíba
A Polícia Civil em Uberlândia apreendeu mais de 700 mil arquivos com um advogado de 25 anos que foi preso na cidade na manhã desta quinta-feira (17) durante a Operação “Luz na Infância 2” de combate à pornografia infantil no país. O material estava armazenado em HDs e será periciado para identificar se todos os arquivos estão relacionados à exploração sexual contra crianças e adolescentes.
Arquivos estavam armanezados em HDs e foram apreendidos na casa do suspeito em Uberlândia
Polícia Civil/Divulgação
De acordo com o delegado responsável pelas investigações, Fábio Ruz, o suspeito está entre os cinco principais alvos da operação que ocorre em todo país, devido à quantidade de mídias apreendidas. O mandado de busca e apreensão foi cumprido pelos policiais na casa do advogado, no Bairro Santa Mônica, onde também foi dada voz de prisão em flagrante.
“No momento em que ele percebeu a ação policial, ele subiu para o quarto e ali tentou apagar alguns vídeos. Por enquanto nossa linha de investigação trabalha somente com armazenamento. Nós não identificamos nenhum conteúdo de índole comercial”, disse.
Entre os vídeos e imagens recebidos ou compartilhados pelo suspeito, a polícia identificou um arquivo de uma criança de quatro anos, nua, que seria do convívio social do suspeito.
Advogado preso durante operação Luz na Infância 2 em Uberlândia
Polícia Civil/Divulgação
O suspeito preso em Uberlândia foi levado para a Delegacia Especializada de Investigação a Furto e Roubo de Veículos Automotores, cuja equipe policial foi responsável pelo cumprimento do mandado. Em seguida, será encaminhado ao Presídio Professor Jacy de Assis.
Os trabalhos de investigação continuam para identificar outras pessoas que teriam recebido Ler a notícia completa

Via:: Minas Gerais

Close Menu