Policial civil de Goiás mata empresário após discussão em Taguatinga, no DF

Policial civil de Goiás mata empresário após discussão em Taguatinga, no DF

Agente de polícia foi preso em flagrante. Outro homem ficou ferido durante a briga, iniciada em um bar. Gustavo Gero Soares, assassinado após briga na porta de bar em Taguatinga, no DF
Reprodução/Facebook
Um homem morreu e outro ficou ferido após serem atingidos por tiros disparados pelo agente da Polícia Civil Paulo Roberto Gomes Bandeira, de 51 anos. Ele está preso na carceragem do Departamento de Polícia Especializada (DPE) de Brasília. O caso ocorreu na tarde deste sábado (12), após uma briga de bar na entrequadra QNL 9/11, em Taguatinga Norte, no Distrito Federal.
O G1 teve acesso à ocorrência do crime, registrada pela 12ª Delegacia de Polícia. Segundo a polícia, a confusão começou durante uma briga de bar, no momento em que uma das vítimas foi chamada de “neguinho”.
O bancário Carlos Augusto Moreira Galvão, de 26 anos, levou um tiro no braço esquerdo. No depoimento, ele afirmou que a confusão começou quando ele e o amigo, o empresário Gustavo Gero Soares, de 25 – que foi morto com um tiro no peito – pararam para urinar na rua, entre uma casa e um carro.
Paulo Roberto, por sua vez, afirmou à polícia que estava em um bar – onde ingeriu “cinco latas de cerveja” – e, ao ver a cena, recriminou os homens, dizendo: “Vocês estão errados, tem um monte de banheiro por aqui”. Segundo Carlos Augusto, Gustavo o respondeu. “Não estamos matando ninguém, só mijando”, disse.
Em seguida, os dois homens foram ao bar comprar bebida alcoólica. Carlos Augusto afirmou no depoimento ter ouvido o policial dizer: “Olha lá o ‘neguinho’ encarando a gente”. Na delegacia, Paulo Roberto confirmou a ofensa racial.
‘Você vai atirar?’
A ofensa se transformou em discussão. Em seguida, Gustavo acertou o rosto do policial com um soco. Ele caiu no chão, se levantou, foi ao Ler a notícia completa

Via:: Goiás

Close Menu